Sistema de Monitoramento Kehua – Parte 1

Por

Por

Sistema de Monitoramento Kehua – Parte 1

[vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″ shape_divider_position=”bottom” bg_image_animation=”none”][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ column_link_target=”_self” column_shadow=”none” column_border_radius=”none” width=”1/1″ tablet_width_inherit=”default” tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default” column_border_width=”none” column_border_style=”solid” bg_image_animation=”none”][vc_column_text]No artigo de hoje e nas próximas semanas iremos explicar como funciona o sistema de monitoramento da Kehua e quais as funcionalidades que o sistema possui. Os inversores da fabricante Kehua Tech possuem o próprio sistema e são monitorados pelo Energy Cloud e pelo app WiseSolar Plus. Por enquanto, os integradores possuem acesso ao cadastro apenas pelo site da Energy Cloud (energy.kehua.com), enquanto os clientes finais possuem acesso somente pelo app de monitoramento. Apesar da diferença das plataformas, a fabricante já está em processo de integração das duas formas de monitoramento para que tanto o integrador quanto o cliente tenham acesso a ambas.

Primeiro vamos falar e mostrar a plataforma do Energy Cloud para os integradores. Iremos mostrar como observar a geração das plantas, os gráficos dos dados referentes ao inversor e como realizar alterações nos inversores remotamente, como por exemplo, data, hora, range de tensão. Por fim, iremos mostrar o app da Kehua para que os clientes finais possam entender como o sistema deles está funcionando e aprenderem a identificar erros para conseguir acionar o integrador responsável pela instalação.

ENERGY CLOUD

Para que o integrador consiga acessar ao Energy Cloud é preciso que nós da Fotus façamos o cadastro da empresa no site de monitoramento. Para isso, basta entra em contato com o suporte técnico para que eles possam realizar o procedimento.

Finalizado o passo de cadastro, o integrador pode acessar pelo navegador de internet o site Login (kehua.com), clicar em Agent e acessar a plataforma com o login (e-mail informado) e senha. A princípio, o sistema gerará uma senha padrão (00000000), porém, o integrador pode realizar a alteração, caso se sinta mais seguro. Nas figuras 1 e 2 podemos observar a tela inicial do site e como acessá-lo.

 

Por enquanto, a plataforma ainda está em inglês, porém, já está em processo de tradução para o português. Quando o novo idioma estiver disponível, para alterar, bastar clicar na caixa superior à direita e selecionar Português.

Acessada a plataforma, o integrador terá inicialmente uma visão geral do sistema de monitoramento. Ou seja, ele conseguirá visualizar a geração, potência e estatísticas das plantas criadas por eles, como podemos observar na figura 3.

Em Power Generation Statistics (figura 4), o integrador conseguirá observar a geração diária, mensal e total de todas as plantas vinculadas à conta dele. Além disso, é possível ver a renda mensal e a receita total gerada pelas plantas e a capacidade total, que é a potência instalada somadas de todos os sistemas (kWp). Como a plataforma é recente no mercado brasileiro, ainda não é possível observar a receita em reais.

Em Plant Manage (figura 5) é possível observar estatisticamente o funcionamento das plantas. Ou seja, quantos por cento das plantas estão com funcionamento normal, apresentando alguma falha, desconectado da internet e que não apresentam nenhum tipo de dispositivo associado a ela. No exemplo abaixo, podemos ver que em um total de três plantas, duas estão apresentando um funcionamento normal e uma está off-line, provavelmente devido à perda de conexão com o wifi do local.

Em Logger Manage (figura 6) os integradores irão enxergar quantos módulos wifi estão conectados ao wifi do local e quantos estão desconectados. Nessa estatística irão aparecer tanto os módulos que ainda não tiveram a configuração wifi realizada, quanto os que estavam conectados, porém perderam a conexão.

Na aba Monitoring o integrador terá acesso ao monitoramento separadamente das plantas vinculadas a conta dele. No exemplo, podemos observar que o integrador possui três plantas, em que é possível ver os dados de potência instalada, geração atual, geração do dia anterior e a geração mensal referentes à cada planta.

Utilizando a planta “Rita de Cassia” como exemplo (figura 8), podemos observar a tela de monitoramento da planta. Nela é possível ver a curva ver alguns dados referentes à geração e o inversor associado àquela planta.

Na parte superior (figura 9), é possível ver a curva de potência os dados de geração diária, mensal, anual e total, além da quantidade de horas (diárias e média) em que o inversor apresenta a geração de potência igual a máxima do inversor. Além de observar quantas vezes o inversor apresentou falha, alarme ou evento.

Na parte superior é possível observar a curva da potência do dia. Essa curva é atualizada a cada cinco minutos, e o dado é obtido fazendo a média dos valores obtidos dentro dos 5 minutos. Além disso conseguimos observar a geração de energia mensal (dividido em dias) e a geração anual (dividida em meses). Na figura 10 é possível ver como esses dados são vistos na plataforma.

Os dados em Key Index estão descritos de acordo com a figura 11 e o integrador poderá ver esses dados sendo atualizados a cada 5 minutos. Na figura 12 é possível ver estaticamente a quantidade de falhas, alarme e erros, além de mostrar quantos inversores estão em funcionamento normal, falha ou offline. Como no exemplo a planta só apresenta um inversor, então os dados serão apenas desse inversor, por isso somente um inversor aparece como normal e nenhum como em falha e offline.

Abaixo é possível ver os detalhes do inversor, detalhes do logger (módulo wifi) e as informações da planta. Em Inverter Details, temos os detalhes do inversor como o tipo do dispositivo, número serial, modelo, status de funcionamento (normal ou anormal) e o número serial dos módulos wifi associado a esse inversor. Em Logger Details é apresentando o número serial do módulo wifi, o status (online ou off-line), o tipo de comunicação, nível do sinal do wifi e a planta na qual esse módulo wifi está inserido. A figura 13 demonstra como esses dados são apresentados.

Em Plant Information é possível observar as informações gerais da planta. Esses dados foram inseridos no momento da criação da planta. Na figura 14 observamos um exemplo de como esses dados são mostrados e dispostos no monitoramento. Por motivos de privacidade, alguns dados foram ocultados.

Além dos dados gerais da planta, o monitoramento também tem acesso aos dados do inversor. Para o caso de plantas com mais de um inversor, é possível selecionar o inversor que deseja observar os dados. Com eles é possível observar falhas que o dispositivo pode estar apresentando, níveis de tensão e corrente de entrada e saída, potência e energia, por exemplo. Para isso basta selecionar o inversor que deseja observar os dados. A página aparecerá de acordo com a figura 15.

Na parte superior da página inicial vemos os dados de potência e geração de acordo com o inversor selecionado (figura 16). A curva de geração de energia pode ser diária, mensal ou anualmente.

Em Inverter Data temos os dados do inversor. Exemplo de alguns de maior interesse ao integrador e que possuem maior importância no monitoramento são os dados de corrente e tensão de entrada e saída, frequência, potência e fator de potência (figura 17).

Dentro de Alarm Information é possível observar os dados que o inversor verifica durante o seu funcionamento para que ele trabalhe dentro dos parâmetros corretos e seguros. Por exemplo, na figura 18 todos os parâmetros verificados estão em conformidade. Porém quando um deles não estiver com o esperado, o inversor marcará como “abnormal”.

Por fim, em Current Event, o integrador verá os alarmes, eventos e falhas que as plantas estão apresentando no momento em que ele está olhando o monitoramento. Nele é possível ver alguns problemas como falha de tensão CA ou falha de frequência. No exemplo da figura 19 nenhum problema estava ocorrendo no momento da verificação.

No artigo de hoje falamos sobre a parte de monitoramento do sistema da Kehua. Nos artigos seguintes falaremos sobre as outras funcionalidades da plataforma, além de falarmos sobre o aplicativo para os clientes finais.

Se você gostou desse artigo, compartilhe com sua equipe e colegas de trabalho. Se você tem alguma sugestão, dúvida ou correção fique à vontade para nos contatar através do e-mail: suporte@fotusenergia.com.br.

Autora: Catarina M. C. Dagostini – Engenheira Eletricista e parte da equipe de Suporte Técnico na Fotus Energia Solar.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]